março 30, 2017

Diary | One day in Bratislava

Olá meninas, 

Como vos disse, estive em Viena em finais de Fevereiro (podem ver mais informações sobre esta cidade aqui e aqui ). No entanto, como li em todo o lado que 3 / 4 dias eram mais que suficientes para conhecer a cidade, aproveitámos um dos dias para ir a Bratislava, capital da Eslováquia e que fica ali mesmo ao lado.

 

Informações gerais
Antes de mais, é importante dizer que, ao contrário do que o filme Hostel nos faz crer (para além de ter feito com que o turismo na cidade diminuísse cerca de 75% no ano seguinte), Bratislava não é perigosa. Além disso, é bastante barata, sim, mas não tão barata como é mostrado no filme Eurotrip. Há zonas da cidade menos bonitas, é verdade, mas isso deve-se ao efeito avassalador que o Comunismo teve por lá. Mas, se se focarem mais na Old Town, vão ver uma cidade pitoresca e bastante acolhedora. Chegámos a Bratislava por volta das 9h45 e fomos embora por volta das 21h30. Na verdade, talvez não sejam sequer precisas 12h para ver a cidade, a não ser que queiramos entrar em vários museus, etc. Quando chegámos, a cidade pareceu-nos algo estranha, sem ninguém na rua, meio “cidade fantasma”. No entanto, com o passar das horas a cidade foi ficando mais cheia, sendo que à noite as ruas estavam cheias de gente. Por ser uma cidade barata, é o destino ideal para quem pretende fazer umas férias mais “de noite”. 


A viagem 
Para ir de Viena a Bratislava, pode-se escolher o comboio ou o autocarro. Nós escolhemos o autocarro da Flixbus. E foi o melhor que fizemos. A viagem ficou a 25€ ida e volta para os dois (12.5€ por pessoa, portanto) e ficámos mesmo no centro (paragem Bratislava Most SNP), ao contrário do comboio, que nos deixa a cerca de 25 minutos a pé. Além disso, o autocarro tem wi-fi e é bastante confortável. A viagem demora cerca de 1h. 

O que visitar
Se lêem os meus posts de viagens, sabem que gosto sempre de fazer free tours. Em Bratislava fizemos duas, a Tour do Castelo e do Comunismo da parte da manhã e a Tour geral da parte da tarde. Bratislava é uma cidade relativamente pequena. E com duas tours de cerca de 2h30 cada, fica muito pouco por ver no centro da cidade. Por isso, durante a tour, as guias falam também de algumas tradições do país, bem como de personalidades famosas, comidas e bebidas típicas. 
 
Bratislava Castle – Situado numa colina onde se tem vista para a cidade, este Castelo é bastante diferente do que estamos habituados. Quase como que uma mesa virada ao contrário, em que cada uma das torres seria uma perna da mesa. Data do século IV e foi reconstruído a meio dos anos 90, depois de um fogo em 1881. Existem museus no seu interior, como o Museu da História e o Museu Nacional. Acabámos por não visitar o interior porque fomos lá na primeira tour, mas está aberto entre as 9 da manhã e as 5 da tarde.

 
St. Martin’s Cathedral – Situada numa das extremidades da Old Town, esta catedral gótica tornou-se, no sec XVI a igreja de coroação dos imperadores Austro-Húngaros até ao sec XIX. A catedral é muito bonita e pode ser visitada gratuitamente. Vale também muito a pena passar nas imediações da Catedral, encontrando-se ruas pitorescas, um seminário e um monumento à antiga sinagoga, que foi demolida para a construção da UFO bridge.

Novy Most (New Bridge) / Most SNP (SNP Bridge) – Também conhecida como UFO Bridge, uma vez que o observatório faz lembrar um Ovni. Este observatório é o local que permite uma melhor vista para Bratislava e para o seu castelo. Para subir ao Observatório, o preço é à volta de 8€. No topo, existe ainda um restaurante, sendo que os seus clientes não têm que pagar para aceder ao Observatório. É um projecto controverso do tempo do Comunismo, uma vez que destruiu uma parte da Old Town durante a construção, como a Sinagoga que se encontrava junto à Catedral. 

Hviezdoslavovo námestie – Uma das mais conhecidas praças de Bratislava, começa junto à UFO Bridge e termina no Slovak National Theatre. Foi aqui que ocorreu a Candle Demonstration, o primeiro passo para a destrução do Comunismo na Checoslaváquia. 

The Slovak National Theatre - Opera & Ballet House – encontra-se no fim da Praça Hviezdoslav e foi construído durante os tempos do Império Austro-Hungaro, baseado num projecto de arquitectos de Viena. 



Primatial Palace – Estilo neogótico, encontra-se no centro da Old Town e é um considerado um dos edifícios mais bonitos de Bratislava. Com o seu tom rosa pálido, é fácil perceber porquê, certo? O palácio está aberto de 3ª a Domingo, das 10h às 17h. 

Old Town Hall – Surgiu no sec XV, com a ligação de diversas casas da burguesia e depois disso passou por diversos períodos de reconstrução. É aqui que se encontra o Museu Municipal e a Torre, de natureza defensiva. Nesta torre, é possível encontrarmos uma réplica de uma bala de canhão encrostada na parede, representando os ataques de Napoleão em 1809.


St. Michael’s Gate – a Porta e a Rua de St Michael são dos pontos mais populares da cidade, onde se encontram diversas lojas e restaurantes. À noite, a rua tem uma vida fantástica. A maioria dos prédios que aqui se encontram, datam do séc XVIII, tendo sobrevivido a guerras, ocupações e mesmo ao Comunismo. A St Michael’s Gate é a única porta que resta das fortificações medievais da cidade e é onde actualmente se encontra o Museu das Armas e das Fortificações da cidade. 
 
Grassalkovich Palace – A “Casa Branca” da Eslováquia é hoje o lar do presidente Eslovaco, mas já foi um local de encontro para os membros do Império Austro-Húngaro e para a aristocracia de Habsburg. Existem guardas 24h por dia, que podem ser vistos diariamente a marchar em frente ao palácio. No Palácio existe ainda um jardim Barroco, que está aberto ao público. Mas este Jardim deve merecer mais a visita na Primavera / Verão. Infelizmente passámos lá no Inverno e portanto não pudemos aproveitá-lo.

St. Elizabeth's Church (Blue Church) – É fácil de perceber o motivo da Igreja de St. Elizabeth também ser conhecida como Blue Church. Deverá ser um dos mais bonitos exemplos de Art Nouveau em todo o mundo, pelo que, apesar de não ser exactamente no centro, merece sem dúvida uma visita. 

A foto não é minha, mas foi a melhor forma de dar uma ideia completa desta "Praça da Liberdade" Fonte: krokusgaleria
Námestie Slobody / Freedom Square - Fica um pouco mais afastada do centro e a verdade é que pode não ser o local mais bonito de visitar. Além disso, e apesar de eu ser pouco destas coisas das energias, dá realmente a sensação de que este local está carregado de uma energia estranha. Tudo naquela praça lembra o tempo do Comunismo: os prédios à volta, os bancos propositadamente pouco confortáveis para que as pessoas não ficassem lá muito tempo, uma fonte (Fountain of Union - agora seca) que fazia imenso barulho para que as pessoas não se ouvissem, canteiros suficientemente espaçados para o caso de serem preciso passar tanques ...

A cidade tem ainda uma colecção peculiar de estátuas: 
Hans Christian Andersen – Não, o famoso escritor de contos como “O rei vai nu” não é de Bratislava, nem sequer da Eslováquia. Mas passou por Bratislava e disse coisas bonitas sobre o sítio, portanto teve direito a uma estátua! 

Čumil / Man at work – Mais nenhuma cidade do mundo tem uma estátua assim: um trabalhador a espreitar por um buraco no chão. Como já ficou sem cabeça duas vezes devido a condutores que não davam por ele, agora esta estátua tem direito a um sinal de trânsito criada propositadamente para ela. Deve ser a estátua mais fotografada da cidade e as pessoas são bastante criativas. A minha foto não foi assim tão imaginativa, como podem ver.

Schöne Náci – Diz-se que Náci era um doente mental que andava pela Old Town, sempre de cartola e fato de veludo. Como cortejava as senhoras que por ele passavam e lhes oferecia flores, também merece uma estátua!


Napoleonský vojak – Fica num banco e está de costas (e inclinado) para a Embaixada Francesa, numa alusão à posição na qual o seu líder perdeu a guerra. Boatos históricos dizem que estar assim voltado de costas para a Embaixada não foi por acaso ...

Ficou por ver o Castelo de Devin, um Castelo cujos primeiros registos datam do ano 864, e o Slavin, Monumento aos soldados soviéticos que libertaram Bratislava durante a Segunda Guerra, mas ambos já são um pouco mais afastados do centro. 

Onde comer 
Por indicação da guia da free tour, fomos ao Slovak Pub, óptimo lugar para comer comida típica Eslovaca e com um preço muito simpático. O pub é enorme e bastante agradável, havendo lugar para fumadores e não fumadores. Quanto ao wi-fi, existe em algumas das salas. É um restaurante típico, bastante grande, onde os turistas se misturam com os locais. Pedimos um trio para 2 pessoas, por cerca de 12€, que incluía os típicos dumplings com queijo - Bryndzové Haluskypôr . Também existe outro prato muito típico, a Garlic Soap, por 5€. Mas já estávamos tão cheios que não chegámos a experimentar.


Mais uma vez um post gigante ... a verdade é que é difícil que estes posts não sejam extensos, porque a ideia é que sejam o mais informativo possível para se um dia vos fizer falta!

6 comentários:

  1. Nossa que lugar mais lindo
    confesso que não conhecia
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  2. Adorei o post! Parece um sítio muito giro para visitar! :D
    Adoro o facto de ter teres focado no mais importante da tua viagem. Bem, se todos os posts fossem assim...
    Beijinhos ♡

    ResponderEliminar
  3. Parece ter sido um dia recheado! Por acaso não conhecia, mas a arquitectura é linda!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderEliminar
  4. Que fotos incríveis. Dá para perceber perfeitamente a sua beleza! E tu estavas bonita como sempre:)
    Beijinho grande
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Aii estou com uma inveja (da branca), está nos meus planos futuros viagens como essa, tipo tirar uma semana e ficar 3 a 4 dias em duas cidades europeias! Adorei o post, as fotos, o texto :D

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar