19.10.16

Diary | Portugal Fashion SS 2017

Olá meninas, 

Se me seguem no Instagram (não seguem? como não? toca a ir a @claudiadecastroferreira para estarem a par de tudo!), devem ter reparado que na passada 4a feira, dia 12, estive pela 39ª edição do Portugal Fashion. Costumo ir todas as edições à Moda Lisboa, mas nunca tinha tido a oportunidade de ir ao Portugal Fashion. Este ano achei que fazia todo o sentido ir, principalmente porque o dia em Lisboa teve lugar mesmo ao pé do escritório, no Pavilhão de Portugal. Mais exactamente no 1º andar, decorrendo tanto no interior como na varanda - sendo o Tejo cenário para quem optou pelo lado de fora. 
Relativamente à Moda Lisboa, pareceu-me um conceito um pouco diferente. A sensação com que fiquei é que muita gente vai à Moda Lisboa tanto para ver como para ser vista. Aqui no Portugal Fashion, quem foi, foi essencialmente para ver - algo que me agradou bastante.
Mas vamos então aos desfiles.



Pedro Pedro
Pedro Pedro apresentou "Dune", uma colecção que mostra uma mulher "com um ar descontraído e sofisticado". Esta mulher veste veludo, malhas, linho, sedas e algodões. Quanto aos tons, o bege da areia (das dunas) foi a cor dominante, mas houve também espaço para tons como o amarelo, o rosa, o azul e o preto. Apesar das silhuetas fluídas e desconstruídas, nem por isso a mulher "Dune" deixa de se apresentar feminina e elegante. Costumo gostar imenso das colecções de Pedro Pedro - e esta não foi excepção.





HIBU
Este desfile foi inserido na plataforma Bloom. Para quem não conhece o conceito, tal como o nome indica - Bloom, ou em Portugûes, Florescer - apresenta-nos algo de novo, que ainda está a nascer ou a crescer. Bloom mostra-nos então propostas de novos estilistas. Este conceito assemelha-se ao LAB na Moda Lisboa, sendo-nos apresentado algo mais experimental, mais inovador.
Falando da HIBU, Marta Gonçalves apresentou uma colecção inspirada em AMBOY, uma cidade fantasma no meio do deserto Mojave. Assim sendo, o bege do deserto, o aul claro e escuro do céu e o negro das profundezas das crateras vulcâncias desta cidade escondida e abandonada, foram as cores dominantes de AMBOY. 




Alexandra Moura
"I've got my eyes on you" foi o nome desta nova colecção - e sim, todos os olhos estiveram postas na maravilhosa colecção apresentada por Alexandra Moura, que teve direito a uma ovação de pé no final. A colecção combinou looks mais confortáveis e contemporâneos com malhas com texturas sofisticadas e tules - o balanço perfeito entre o clássico e o contemporâneo. Quanto à paleta de cores, os tons dominantes foram o preto, o azul ganga, o verde esmeralda e o lavanda, mas também um padrão jacquard com motivos florais. 
Já tinha assistido a alguns desfiles de Alexandra Moura na Moda Lisboa - mas esta foi sem dúvida a minha colecção preferida da designer.





Alves e Gonçalves
A camisa - algo que à partida consideramos mais clássico - pode ter sido o ponto de partida, mas esta foi uma colecção surpreendente para quem está habituado ao estilo mais clássico e certinho dos "Manéis". A camisa evoluiu então para um universo mais complexo e inesperado - criando novos items no vestuário feminino - a assimetria, o oversized, os cortes retos e as mangas voluptuosas. O tom dominante foi o preto, conjugado com padrões florais e outros geométricos, numa paleta essencialmente metálica. Os cintos, as fivelas de metal, as botas de cano alto completaram esta nova abordagem da dupla, que mostrou uma nova abordagem "a favor de um vestuário moderno e sensual, rumando ao futuro".






Estiveram em algum dos dias do Portugal Fashion? Das 4 colecções que vos mostrei, qual a vossa preferida?

Nota: as fotografias individuais de cada coordenado são da elle.sapo.pt

3 comentários:

  1. Gostei muito de Alves e Gonçalves

    ResponderEliminar
  2. Bonitas inspirações...ai que saudades do verão!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  3. Bonitas inspirações...ai que saudades do verão!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar