8.9.13

Sugestões | A Gaiola Dourada

Quando ouvi falar deste filme pela primeira vez, confesso que não me inspirou grande confiança nem me deu grande vontade de assistir, ainda mais por saber que seria falado em Francês. Mas não podia estar mais enganada (Shame on me, já me tinha acontecido o mesmo com o filme Amigos Improváveis).

No entanto, fui começando a ouvir mais e mais pessoas a dizerem que o filme era óptimo e este fim-de-semana acabei por lhe dar uma oportunidade. E tenho-vos a dizer que vale mesmo a pena. Afinal, ter sido visto por mais de 467 mil espectadores, tornando-se o filme mais visto do ano em Portugal, há-de querer dizer alguma coisa, certo?

O filme conta a história de Maria e José Ribeiro, que vivem há 30 anos na casa da porteira de um prédio em Paris. Ela, uma dedicada porteira. Ele, um pedreiro e chefe de obras da total confiança do patrão. Ambos indispensáveis no dia a dia de quem os rodeia. Até que lhes surge a possibilidade de concretizarem o sonho (já quase esquecido) das suas vidas: regressarem a Portugal. E é aí que começa o problema, já que ninguém os quer deixar partir. 

O argumento não tem grandes enredos originais. E sim, pega na imagem cliché do emigrante português. Mas este cliché é construído de uma forma tão terna, sincera e familiar, que acaba por nos arrancar vários sorrisos cheios de orgulho (e talvez até uma lágrima ao canto do olho ou pelo menos um nó na garganta).


Um dos momentos mais emocionantes do filme é, sem dúvida, o fado de Catarina Wallenstein. "Das mãos de Deus tudo aceito, mas que morra em Portugal". Um sentimento que será, sem dúvida, o de muitos emigrantes Portuguesas, ainda para mais agora, em que são tantos os jovens que se vêem obrigados a abandonar Portugal.

Já viram o filme? O que acharam? Para quem ainda não viu, vale mesmo muito a pena!

4 comentários:

  1. è um filme com um misto de sentimentos muito grande saudade, ambição, simplicidade, comédia etc mas acima de tudo vale a pena ver sim mesmo em francês que costumam ser filmes monótonos este não é.

    ResponderEliminar