19.3.13

Gossip | Fim da comercialização de produtos cosméticos testados em animais

Muito se tem falado na oficialização da proibição da importação e venda de cosméticos testados em animais, na União Europeia, a partir do dia 11 de Março. Mas a verdade é que há muito mais a dizer sobre isto!


A luta contra os testes em animais já tem uma história de cerca de 20 anos. Os testes de cosméticos na União Europeia já eram proibídos desde 11 de Setembro de 2004 e os testes de ingredientes para os fabricar desde 11 de Março de 2009. Acontece que, até essa altura, caso fossem testados fora da União Europeia, não haveria qualquer problema. Ou seja, os produtos podiam ser vendidos na União Europeia desde que testados fora da mesma. 
Apesar de se pensar alterar esta situação desde 2009, só agora se oficializou a total proibição de comercializar todos os tipos de produtos exclusivamente cosméticos testados em animais fora da União Europeia. Até há bem pouco tempo, os testes mais extremos eram passíveis de ser feitos em animais. 
Só a partir de dia 11 deste ano essa possibilidade acabou. Problema resolvido? Muito longe disso!


Estima-se que cada pessoa use, em média, 7 cosméticos diferentes por dia e deve-se assegurar que todos estes produtos são seguros. E nos últimos anos têm sido feito alguns progressos para verificar se os produtos são ou não seguros, sem ter que se recorrer aos testes em animais. Por exemplo, já se utilizam modelos de pele humana para testar a irritação cutânea.

No entanto, apesar da União Europeia ter disponibilizado cerca de 238 milhões de euros para encontrar alternativas aos testes em animais entre 2007 e 2011, da própria indústria dos cosméticos ter cofinanciado a iniciativa SEURAT em 25 milhões de euros e de se terem feito alguns progressos, há casos em que isso ainda não é possível. De forma a não comprometer a segurança dos cosméticos utilizados, caso não se consiga testar um ingrediente sem ter que recorrer a animais, simplesmente esse ingrediente não será utilizado! Quanto a cosméticos já existentes, vão continuar a existir no mercado, mesmo que no passado tenham sido testados em animais. 


A Comissão Europeia tentou levar a cabo um estudo para verificar que impacto terá esta lei. No entanto, apesar de terem verificado que de facto existirá algum impacto para as indústrias farmacêuticas (por exemplo, a impossibilidade de introduzir novos ingredientes), consideraram este impacto como difícil de quantificar. O compromisso da Comissão Europeia será o de continuar a tentar avaliar este impacto e continuar a financiar o estudo de alternativas aos testes em animais.

Qual a vossa opinião sobre a proibição dos testes de cosméticos em animais?


10 comentários:

  1. eu concordo com a proibição de testar cosméticos em animais !

    ResponderEliminar
  2. também concordo com a proibição!

    ResponderEliminar
  3. Eu concordo sim e espero sinceramente que seja mais um passo nesta luta.

    http://nobresonho.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Sou sincera, nem conhecia a história completa. Mas acho muito bem que se proíbam os testes em animais

    beijinho

    ResponderEliminar
  5. Concordo com a proibição, e desejava-a já há muito, mas, e não sendo eu hipócrita, devido ao meu orçamento já há muitos anos bastante reduzido admito que já comprei marcas que sei que testam em animais. Sim, comprei. Mas a alternativa seria comprar essas marcas ou deixar de usar cosméticos. Infelizmente já há muitos anos que nem Body Shop me posso dar ao luxo de comprar, é mesmo assim, e por isso fiquei feliz com esta legislação, assim as marcas que eu posso financeiramente comportar no meu orçamento familiar passam a ser marcas que moralmente não me incomoda o facto de as comprar. Espero eu.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Estou totalmente de acordo!

    http://thatsthe-way.blogspot.pt/!!

    ResponderEliminar